Conheça o time de aspirantes do Bahia, que vai disputar o Baianão

0

Quando entrar em campo no primeiro jogo oficial da temporada 2020, contra a Juazeirense, no dia 22, às 21h30, o Bahia vai apresentar um time bem diferente do que o torcedor está acostumado a ver.

Com cinco competições no ano e um calendário apertado, o Bahia definiu que vai usar o time de aspirantes no Campeonato Baiano. O clube já tem 20 partidas confirmadas até o fim de março, e o número pode aumentar para 22 ou 24 a depender de classificação na Copa do Brasil.

Por isso, ao olhar para o gol, o torcedor não encontrará Douglas nas partidas do estadual. O camisa 9 não será Gilberto, e Gregore não estará desarmando no setor de meio-campo. Sob o comando do técnico Dado Cavalcanti, a chamada equipe de transição se prepara para o Baianão desde o início de dezembro. E para que o torcedor comece a se ambientar com os novos jogadores, é possível dividir o elenco em três grupos.No primeiro estão os atletas que já faziam parte do projeto e estavam no time que, no ano passado, foi semifinalista do Campeonato Brasileiro de Aspirantes. São eles: o goleiro Fernando, os laterais Willean Lepu e Mayk, os zagueiros Ignácio e Jaques, os volantes Edson e Paulinho, o meia Cristiano e os atacantes Gustavo, Gabriel Esteves e Caíque (veja alguns na galeria de fotos abaixo).

Aos remanescentes do ano passado foram somados garotos promovidos das categorias de base: o lateral esquerdo Matheus Bahia, os volantes Caio Mello e Pará, os meias Dimitri, Vinícius e Vitinho e o atacante Saldanha. Alguns atletas como Caio Mello e Saldanha já haviam disputado partidas pelo time de aspirantes, mas só agora estão de vez no elenco.

Na busca pelo tricampeonato baiano, que não conquista desde 1988, o Esquadrão também foi ao mercado por reforços. Chegaram para o time de Dado jogadores rodados como o volante Ramon e os meias Arthur Rezende e Alesson, que disputaram a Série B do ano passado por Vila Nova, Guarani e Paraná, respectivamente.Destaque pelo ABC em 2018, o meia-atacante Fessin estava no Corinthians e também vai defender o tricolor. Já o atacante Régis foi um dos destaques da Chapecoense no Brasileirão de 2019 e chegou ao Bahia por empréstimo. 

De acordo com Diego Cerri, diretor de futebol do Bahia, a ideia ao colocar o time de aspirantes em uma competição à vera é dar um “respiro” ao grupo principal durante a temporada e encontrar jogadores que possam ser integrados ao elenco de Roger Machado no decorrer do ano.

“Tenho convicção que é o primeiro ano que de fato temos um time estruturado. Uma comissão técnica fixa, encabeçada pelo Dado Cavalcanti – que é um treinador com bastante experiência no cenário nacional, iniciou o trabalho no ano passado, tem continuidade este ano -, e um grupo de jogadores que pincelamos no mercado. São jogadores que chegam após muito análise, atletas que tivemos concorrência até de time de Série A, mas que entenderam e toparam o desafio de começar primeiro nessa equipe de transição e depois buscar espaço na equipe principal”, explica Cerri.

Possível escalação
O time de aspirantes tem disputado amistosos como parte da preparação para o Baiano. O último foi contra o Jacobina, com empate por 0x0, domingo (12), na Cidade Tricolor. Antes, ganhou do Retrô-PE, do Bahia de Feira e de um combinado de atletas e ex-atletas.

O time escalado por Dado Cavalcanti diante do Jacobina teve Fernando; Lepu, Ignácio, Anderson e Mayk (Lucas Rodrigues); Edson (Paulinho), Caio Mello (Cristiano) e Ramon (Luciano Buiu); Gustavo (Régis), Gabriel Esteves (Alesson) e Saldanha (Caíque). 

No entanto, alguns jogadores que serão aproveitados no Campeonato Baiano não estiveram em campo, caso de Yuri, Arthur Rezende e Fessin. Eles iniciaram a preparação somente neste mês e se encontram em um estágio físico atrás dos demais.

Um dos destaques na pré-temporada tem sido o atacante Gustavo. Ele, que teve a experiência de disputar o Campeonato Baiano de 2019 pelo Jequié, afirma que está ansioso para entrar em campo com a camisa do Bahia na Fonte Nova.

“Ansioso demais para sentir o calor da torcida. Eu já joguei o Campeonato Baiano, mas por um time de menor expressão, no Bahia a pressão é muito maior. Aqui você tem que jogar bem, não é como no Jequié, que você não tinha muitas probabilidades. Não somos o time B, somos o time principal do Bahia no estadual e temos que ir bem”.

Dado Cavalcanti é o treinador

Mayk é lateral esquerdo

Gabriel Esteves, atacante

Cristiano, meia-atacante da base

Matheus Bahia, lateral esquerdo da base

Vinícius meia, lesionado gravemente não se recuperará a tempo para jogar no baiano

Luciano Buiu é volante

Caio Mello Volante da base

Ignácio sub-23

Jaques, zagueiro formado no Bahia

Edson, volante ficou no banco em jogos do Brasiliero 2019

Mateus Claus, ex-Pelotas e Fernando são os goleiros

Vitinho, meia da base

Lucas Rodrigues, lateral direito, veio do Comercial-SP

Gustavo, ponta

Dimitri, meia da base

Saldanha, centroavante, é o sósia tricolor de Firmino

Arthur Rezende e Alesson jogaram na Série B por Guarani e Paraná

Caíque centroavante

Ramon, volante, jogou no Vila Nova em 2019

Fábio Alemão, zagueiro, veio do Internacional

Fessin, atacante emprestado do Corinthians

Regis (colete laranja) é atacante emprestado da Chapecoense.

Yuri, volante, retorna ao Bahia depois de ser emprestado ao futebol japonês.

Anderson, zagueiro conquistou acesso à série B com o Confiança.

Willean Lepu, lateral esquerdo

Fotos Felipe Oliveira/Esporte Clube Bahia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui