Governo injeta R$ 3,9 bilhões na economia do estado em um mês

0

O governo da Bahia injetará R$ 3,9 bilhões na economia do estado em um mês com o pagamento dos servidores ativos, aposentados e pensionistas, somando as folhas de novembro e dezembro, além da quitação da segunda parcela do 13º salário. Tal inversão movimentará a economia baiana, criando um efeito multiplicador diante do cenário de estagnação pelo qual o País ainda atravessa.

A Secretaria da Administração (Saeb) efetivou a folha do mês de novembro no dia 29, totalizando o valor de R$ 1,58 bilhão – o montante foi pago a 270 mil servidores do estado, somados aqueles em atividade e os aposentados, além dos pensionistas.

No dia 20 de dezembro, como determina a legislação, será quitada a segunda parcela do 13º salário, uma quantia de aproximadamente R$ 850 milhões pagos para o funcionalismo (ativos, inativos e pensionistas). Já a folha de pagamento de dezembro será realizada no dia 30, com um montante estimado em R$ 1,5 bilhão.

Somados os valores das duas folhas de pagamento com a quitação do 13º salário, o governo injeta o total de R$ 3,9 bilhões na economia baiana, em menos de trinta dias. O montante vai ajudar a movimentar o mercado, em forma de consumo das famílias, pagamentos, investimentos, dentre outros. Assim, os valores vão aquecer a economia do Estado, criando emprego e renda.

“Os recursos desembolsados pelo governo neste final de ano representam uma quantia considerável em circulação em todo o estado, contribuindo para estimular a economia baiana num momento em que se pode observar os reflexos de uma crise econômica ainda não superada pelo país”, avaliou o secretário da Fazenda do Estado, Manoel Vitório.

O estado da Bahia se antecipou à crise e implementou uma reforma administrativa na transição de governo entre 2014 e 2015. A premissa foi o equilíbrio fiscal, o que incluiu a implantação de uma Coordenação de Qualidade do Gasto Público no âmbito da Sefaz-Ba, destinada a assegurar o controle das despesas com custeio na administração pública. Foi promovida, também, a redução de cargos comissionados e o número de secretarias estaduais.

Graças a essas medidas, a Bahia segue com suas contas equilibradas, com pagamentos a servidores e fornecedores rigorosamente em dia, além de se manter em segundo lugar no país em investimentos públicos, com a realização de obras necessárias para o desenvolvimento do estado.

O secretário da Administração, Edelvino Góes, ressaltou o sucesso da política de responsabilidade fiscal do estado.

“O pagamento em dia da folha salarial destaca a Bahia entre os estados que vêm conseguindo honrar seus compromissos com o funcionalismo público mesmo em um cenário de crise nas finanças estaduais, o que tem levado muitos governos a parcelar ou alterar as datas de pagamento dos salários mensais e do décimo terceiro”, analisou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui