Em reunião com Guedes, Rui defende discussão do pacto federativo e critica fala de Bolsonaro

0

O governador Rui Costa (PT) fez duras críticas, durante reunião de governadores com o ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta terça-feira (11), ao presidente Jair Bolsonaro e a forma como ele tem tratado a incidência de impostos sobre combustíveis.

Segundo Rui, as falas do presidente têm o objetivo “claro de jogar a população contra os governadores”, já que “a população “tem pouca informação de como se dá o preço no Brasil”.

“Não é o ICMS [imposto estadual] que faz o preço final da gasolina… não sei se o presidente sabe disso, mas vossa excelência [Paulo Guedes] sabe. O estado da Bahia cobra ICMS com o preço referencial antigo e nem por isso os postos abaixam o preço. Se fosse pela base que o estado cobra, o preço da gasolina deveria ser muito mais barato do que é. Quem faz o preço alto de combustível no brasil é a rede oligopolizada de fornecimento de combustível”, falou Rui.

O governador baiano ainda alfinetou a gestão federal por “diminuir o refino no Brasil e adquirir todo derivado de Petróleo do exterior, dolarizando todo o preço do combustível. Uma opção política”.

Rui Costa ainda destacou que os governadores precisam conversar com o Planalto sobre o Pacto Federativo.

“Não foi o que nós vimos na votação da reforma [da Previdência], na questão dos militares, quando o governo federal, que não paga os militares nos estados, reduziu a alíquota para 9,5%, quando era 14%, e deu o benefício adicional […] Aumentou o déficit previdenciário dos estados em 100 milhões, 150 milhões… todos os estados aumentaram o déficit previdenciário por uma decisão política do presidente da Republica. A alíquota na Bahia era 14% e foi reduzida para 9,5%”, completou Rui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui