Mais uma vez, Braskem integra o Índice de Sustentabilidade da B3

0

A petroquímica compõe a carteira anualmente desde que o índice foi criado, há 15 anos. Lista traz empresas com forte responsabilidade social e desenvolvimento sustentável

A Braskem, maior produtora de resinas termoplásticas das Américas e maior produtora mundial de biopolímeros, mais uma vez compõe o grupo de empresas reconhecidas pela B3 com o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), uma carteira composta por companhias listadas na bolsa de valores que adotam as melhores práticas e obtém os melhores resultados em sustentabilidade corporativa. A petroquímica brasileira integrou a lista em todos os anos desde a criação do ISE, em 2005, sendo uma de apenas sete empresas que realizaram tal feito, sendo duas industriais (onde a Braskem está inserida), três do setor bancário e duas de energia.

A avaliação reflete o compromisso da Braskem com as boas práticas de responsabilidade social, governança corporativa, gestão econômico-financeira e preservação ambiental.

Jorge Soto, diretor de Desenvolvimento Sustentável da Braskem, explica que a presença da companhia na lista seleta reforça o principal objetivo da Braskem, de melhorar a vida das pessoas criando soluções sustentáveis da química e do plástico. “Isto é verdadeiro para nossas operações e também para o ambiente que nos cerca”, diz o executivo. “Dentro dos nossos compromissos, um dos principais é atuar nas comunidades do entorno das operações da empresa, buscando oferecer além de trabalho, oportunidades para a maioria da população por meio de diversos projetos. Os quais beneficiam cerca de 200 mil pessoas por ano”, complementa.

ISE 2019/2020:

A nova carteira do ISE reúne 36 ações de 30 empresas, que representam 15 setores e somam R$ 1,64 trilhão em valor de mercado, o equivalente a 37,62% do valor total das empresas com ações negociadas na bolsa brasileira. O índice vai vigorar de 06 de janeiro de 2020 a 1º de janeiro de 2021.

Pedro Freitas, Vice-presidente de Finanças, Relações com Investidores, Suprimentos e Relações Institucionais da Braskem, afirma que a companhia busca ser referência mundial no setor químico pela sua atuação em prol do desenvolvimento sustentável e fazer parte do ISE desde a sua criação, em 2005, reconhece este esforço. “A evolução da Braskem nesse tempo, se confunde com a do ISE. Assim como o índice, também somos uma empresa jovem, formada em 2002. Portanto, podemos dizer que nossas conquistas tiveram muita contribuição do engajamento no ISE. O fortalecimento da dimensão Clima em 2010, por exemplo, coincide com o reforço da nossa estratégia empresarial no assunto. Foi nesse ano que nos tornamos os maiores produtores mundiais de biopolimeros”, conclui.

Alguns projetos sociais da Braskem nas comunidades onde atua:

Edukatu

Desenvolvido em 2013 por meio de uma parceria entre nós e o Instituto Akatu, o Edukatu leva educação ambiental e conceitos de sustentabilidade e consumo consciente a escolas de todo o país. Também firmamos parcerias com Secretarias Municipais de Educação de sete cidades em São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia, além da Secretaria Estadual da Cultura de São Paulo, o que aumentou de forma significativa o alcance do projeto. O programa já apoiou mais de 43 mil alunos e professores.

Ecobarreira

O Ecobarreira é um projeto realizado em parceria com o Instituto Safeweb em Porto Alegre, criado com o objetivo de impedir que resíduos sólidos cheguem ao lago Guaíba. Instalada no Arroio Dilúvio em março de 2016, recebe nosso apoio desde 2017 em projetos de Educação Ambiental, tendo como foco a conscientização de crianças e adolescentes para o consumo consciente e pós-consumo sustentável. Desde a sua inauguração, o Ecobarreira já impediu que 475 toneladas de materiais fossem lançadas no lago, uma média de 180 toneladas por ano. Após estudos com o material coletado no Arroio, identificou-se que apenas 8,2% do material recolhido é plástico, e desses, cerca de 20% podem ser reciclados.

Pescadores de Mel

Realizado em parceria com a Uniprópolis, o projeto ensina o ofício de produção de mel e cultivo hidropônico para pescadores de quatro regiões de Alagoas: Maceió, Barra de São Miguel, Marechal Deodoro e Coqueiro Seco (Brasil). O objetivo é promover a geração de renda adicional aos pescadores durante a época de proibição anual da pesca, além de inclusão social e capacitação técnica. O mel e o própolis produzidos têm propriedades medicinais únicas e ajudam a fortalecer o comércio da região.

Ser+

Programa que visa aumentar a reciclagem de resíduos pós-consumo no Brasil de forma colaborativa e melhorar a vida e as condições de trabalho de catadores de materiais recicláveis. Já apoiou mais de 8.700 catadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui